Divagações de um Alucinado

Padrão

Almas de inverno possuem florações raras e inesperadas. E excepcionalmente belas. Das criaturas primaveris que conheço, quase todas petúnias desbotadas, crestadas pelo sol e levadas ao sabor insípido do vento, observa-se uma sensibilidade espantosamente senil e, como tal, repugnante. Ama-se viajar para a capital francesa das exterioridades, mas nunca para a capital do Sonho. A singularidade pode estar em qualquer lugar, desde que você também lá esteja.

As mulheres são seres singulares por sua própria constituição -algumas o são mais do que as demais. Certa vez, num baile, conheci uma cujos movimentos das carnes de ópio lembravam-me uma certa espiritualidade, ainda que contorcida. A maioria delas são todas mentirosas contumazes, mas a intensidade do seu desejo se insinua nas entrelinhas justamente na medida em que nos nega a única mentira com que nos poderia privar de seu corpo. Bacante e retórica, sabia deslizar como se estivesse sempre a me dizer um “talvez”: adorava-me e temia-me como ao vinho.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s