Aquecimento Global: 13 verdades inconvenientes sobre uma mentira conveniente

Padrão

Al Gore

Segundo os teóricos do Aquecimento Global, as temperaturas estão subindo por causa do aumento do Efeito Estufa, que a grosso modo retém o calor dos raios solares. Um dos gases responsáveis pelo fenômeno seria o CO2, emitido por carros, indústrias e outros em escala nunca antes vista, desde o começo do processo de industrialização acelerada (mais ou menos desde a década de 50 do século XX). Portanto, a causa do desastre ambiental seria a industrialização. Vamos analisar?

1. A verdade é que ninguém precisa ser um gênio para saber que, se tudo o que dizem é verdadeiro, então a temperatura da Terra teria que estar aumentando exponencialmente desde meados do século passado. Como numa panela de pressão. Pois bem: tal não ocorre. Provo. Desde a década de 50 até mais ou menos meados dos anos 70, havia a tese do “Resfriamento Global”, porque as temperaturas estavam diminuindo relativamente às décadas anteriores. Sem falar que, entre 1920 e 1940, o planeta experimentou a maior média de temperatura do SÉCULO. Outro dado interessantíssimo: durante certo período da Idade Média, a temperatura média global era MAIOR do que é hoje; para começar a desmentir esse dado, algum antropólogo picareta teria que desenterrar um BMW construído por um engenheiro medieval (assim como fazem com alguns esqueletos “humanos”).

2. Cientistas climáticos sérios afirmam que mudanças na temperatura global são medidas em escala geológica, e não tomando como parâmetro a cronologia de uma geração (ou duas -ou cinquenta). Isso quer dizer que, da perspectiva histórica de um observador moderno, é praticamente leviano dizer que a temperatura da Terra aumentou porque foi verificado um crescimento médio de 1 grau Celsius no espaço de uma década; variações como essas, para baixo e para cima, são normais na história da Terra e não representam necessariamente um período de aquecimento -ou o seu inverso.

3. Al Gore diz que cientistas no Ártico provaram que o CO2 acompanhou o aumento médio da temperatura global. Logo, seria o aumento do CO2 a causa do Aquecimento Global. Um dos pesquisadores do estudo que ele tomou como referência, no entanto, disse que o senhor Gore esqueceu de mencionar que a quantidade de gás carbônico na atmosfera, embora diretamente proporcional à temperatura média, crescia ou decrescia DEPOIS que havia aumento ou diminuição na mesma. Ou seja, para a Física peculiar do Al Gore e dos Aquecimentistas, o efeito vem antes da sua causa.

4. Grosso modo, a temperatura da Terra funciona como numa panela de arroz que recebesse calor vindo de cima. O calor passaria pela tampa (atmosfera), aqueceria o arroz (superfície) e faria o vapor d’água (gás do efeito estufa) ficar circulando dentro da panela, mantendo, durante certo tempo, a temperatura da superfície (arroz) estável. É por isso que a Terra não vira um cubo de gelo quando o Sol se põe e chega a noite: o calor vai decaindo gradativamente até o amanhecer, sem nunca se esvair por completo. Um detalhe que precisa ser ressaltado é que a tampa teria que estar muito mais quente, no processo, do que o próprio arroz. Isso seria o normal. Pois bem: um dos ex-cientistas da ONU diz que enviou um balão meteorológico para verificar a temperatura de certo estrato da atmosfera (tampa); o resultado indicou que a atmosfera estava mais fria que a superfície! Quer dizer que certas cidades, como São Paulo e Rio, têm verificado um aumento gradativo na temperatura local simplesmente porque substituíram a vegetação nativa por grandes construções de aço e concreto, não por causa do Efeito Estufa ou qualquer fenômeno atmosférico! Em outras e precárias palavras: seria como substituir a panela de barro por uma panela metálica, sem entretanto mexer na tampa! CO2 é o CARALHO!

5. Você já deve ter ouvido falar que desastres climáticos “cada vez mais frequentes” como ciclones, tornados, furacões e outros são causados pelo desequilíbrio do clima; em suma: pelo Aquecimento Global antropogênico (emissões artificiais de CO2). Um dos cientistas sérios, que trabalhou para a ONU, riu disso tudo e disse que faz parte de qualquer cartilha sobre meteorologia saber que fenômenos como ciclone e tornados são formados através do choque de ventos frios com ventos quentes, provenientes de diferentes trópicos. O que ele quer dizer? Quer dizer que, se a temperatura média da Terra estivesse homogeneamente alta, a lógica seria que houvesse MENOS catástrofes relacionadas ao clima, não o oposto. E eu não vou nem rebater aqueles que dizem que o recente inverno rigoroso no hemisfério norte é uma prova do “Aquecimento Global”, por causa de “detalhes ignorados”… Tem que fazer uma operação de troca de espécie, para andar de quatro e comer alfafa, o sujeito que aceita uma conclusão ridícula assim baseada nas premissas que lhe são dadas. Seria como deduzir que Elton John é hétero porque dá o cu, por causa dos “detalhes ignorados”…

6. Procure colocar água no copo. Depois, um cubo de gelo. O nível da água aumentou? Sim. Observe o gelo derreter. O nível da água aumentou? Não. A água em estado líquido ocupa o volume equivalente à área que a mesma água ocupava em estado sólido. E, mesmo que assim não fosse, o derretimento é ocasionado por correntes marítimas, que trazem água aquecida dos trópicos. Então por que diabos tem gente que continua acreditando que o derretimento das calotas polares é um suposto efeito adverso do “Aquecimento Global” e que vai inundar as regiões costeiras do mundo? Água existe nas nuvens (gás), nas montanhas (neve), no ártico (gelo) e nos mares e rios (líquida); conforme varie de lugar, vai dar a impressão de aumento ou diminuição, mas a quantidade de água é a mesma. Os únicos que inventam água do nada são os aquecimentistas, que jogam água no balde e tacam fogo na Terra com sua lábia golpista. No século XVIII, o marinheiro James Cook fez uma marcação numa rocha australiana para registrar o nível do mar e acompanhar suas variações, que eram naturais a curto prazo (a maré, por exemplo, é efeito da gravidade lunar); hoje em dia, três séculos depois, o nível continua basicamente coincidindo com a mesma marca (com as variantes naturais de costume)…

7. Já foi dito por trocentos sujeitos que estiveram lá que o Painel de Mudanças Climáticas da ONU é um órgão político, não científico. Recentemente, hackers invadiram computadores de uma universidade inglesa (ligada ao IPCC da ONU) e interceptaram e-mails dos pesquisadores climáticos, que planejavam alterar dados para favorecer a tese do Aquecimento Global. Para terminar, podemos dizer que bilhões são investidos em pesquisas Pró-Aquecimentistas, enquanto quase nada é repassado para outros cientistas do clima; não obstante, os ambientalistas acusam os cientistas “anti-aquecimentistas” de receber propina de companhias petrolíferas… O único caso que eu sei é de uma pesquisa financiada pela ESSO.

8. Os ruminantes e as plantas produzem metano, que é um dos gases do Efeito Estufa. Mas há 20 anos os níveis de metano estão estabilizados, muito embora a pecuária e a agricultura tenham crescido muito durante esse período. Ocorre que a interação natural entre oceanos, vegetação e erupções vulcânicas são a verdadeira variante do clima, nesse caso específico do metano (sobretudo os oceanos). A ação do homem seria proporcional à ação de uma pulga que puxasse o arado, em comparação à força de trabalho gerada por um elefante, por exemplo.

9. Em tempo: os verdadeiros modificadores da temperatura são o Sol e os oceanos. Os oceanos se aquecem e provocam mudanças em larga escala. A questão é a seguinte: os oceanos duram MILHÕES de anos para se aquecer a ponto de influir decisivamente na atmosfera terrestre –ou para se resfriar. Mesmo que o homem pudesse influir no clima, sua impotência é assombrosa frente à magnitude da natureza. Com efeito, calcular mudanças climáticas não é algo tão facilmente observável e, mais importante, não está relacionado com “aquecimento antropogênico”. Portanto, nem adianta fantasiar o palhaço e gerar novo lero-lero, dizer que a taxa de natalidade precisa diminuir, alegando que os oceanos estão aquecendo porque crianças mijam nas praias (rs).

10. A questão com os oceanos é que eles possuem CO2 numa quantidade muito, muito maior que qualquer outra fonte na Terra. De fato, acontece com eles o que acontece com os refrigerantes: o gás é expulso do líquido quando este se aquece. Mas primeiro é preciso que o líquido se aqueça, para que então o gás seja despejado na atmosfera. É por isso que, nos gráficos do Al Gore, o gás carbônico acompanha o aumento da temperatura: a água se aquece e libera o gás. Assim como acontece com “cientistas do aquecimento”: o bolso se aquece e eles produzem flatulências com a boca, que turvam o ambiente com seu cheiro de ovo podre.

11. Os seres humanos e os animais não são capazes de produzir o próprio alimento, ao contrário das plantas. A vegetação, que depende do gás carbônico, faz a fotossíntese e produz todos os compostos necessários para a nossa sobrevivência. Foi provado que, dobrado o nível de CO2, a produção de alimentos aumenta de 30 a 40%.

12. O profeta Al Gore previu que o Ártico estaria sem gelo em 2013… Sabe o que ocorreu? Aumento de 50% de gelo no Polo Norte. Mostraram imagens de satélite onde o gelo do Ártico aparecia derretendo, no intuito de provar que o Aquecimento Global estava acontecendo. Um pesquisador da região, rindo, disse que eles esqueceram de mencionar que se referiam ao verão e que o mesmo ocorria antes, mas não tínhamos satélites para testemunhar com toda a riqueza de detalhes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s