Premier League: a briga pelo título!

Padrão

Após uma das temporadas mais empolgantes dos últimos anos, a disputa pelo título da Premier League, este ano, promete muito mais surpresas e emoção à flor da pele! Foram anos e anos assistindo a um campeonato monótono, no qual as vagas para a EPL já estavam decididas de antemão e o que restava era apenas acompanhar um campeonato à parte ou, quando muito, polarizado entre dois times. Graças aos investimentos do Manchester City e da ascenção do Tottenham, no entanto, o panorama promete ser diferente.

Chelsea: o time londrino, graças a uma brilhante campanha na temporada anterior, chega motivado na briga pelo bicampeonato. Seu brilho ainda depende muito dos lampejos de Lampard e Drogba dentro de campo, mas o enfraquecimento de seus rivais mais tradicionais é um ponto a favor. Penso que há posições nos quais o time carece de talento, mas essa é uma dificuldade que os blues souberam contornar em outras primaveras.

Prós:

1. É incisivo. Não tem medo de arriscar e agredir o adversário 100% do tempo.

2. Conta com um atacante de ofício, cheio de espírito ademais, capaz de marcar nas situações mais complicadas.

3. O time é equilibrado.

Contras:

1. Carlo Ancelloti é um retranqueiro de longa data e, se não estragou a campanha do time antes, tem tudo para o fazer hoje.

2. Os pontas são uma desgraça… Não é de hoje que Malouda e Kalou despertam a desconfiança do torcedor.

3. Perdeu dois jogadores mais criativos no meio-campo. E ninguém no elenco é capaz de repor à altura.

Manchester United: o Manchester, além de um time, tem toda uma tradição, além de um técnico fenomenal. E isso pode fazer toda a diferença, pois embora não tenha sido determinante na campanha anterior, conta hoje com o detalhe que faltou, chamado “entrosamento”. Na atual temporada, com um time estabilizado e coeso, Ferguson pode voltar a pleitear as posições mais altas da tabela. Mas a concorrência pode atrapalhar…

Prós:

1. É incisivo. Não tem medo de arriscar e agredir o adversário 100% do tempo.

2. O espírito vencedor do United é único. O time pode estar perdendo pelo placar que for, mas não se abate em nenhum momento. Pelo contrário: fica mais perigoso quando acuado.

3. É um time que aflora no coletivo quando vai bem individualmente. Qualidade rara.

Contras:

1. Dimitar Berbatov.

2. O elenco, como um todo, é o mais irregular quanto à qualidade técnica, ficando à frente apenas de Tottenham e Liverpool entre os pretendentes ao título.

3. Giggs, ainda uma peça fundamental no time, aguenta cada vez menos uma partida de 90 min.

Arsenal: Esbanjando a velha categoria de sempre, o Arsenal vem, mais uma vez, como o time mais abusado dentre os grandes. Na minha modesta opinião, o Arsenal é o mais técnico e agradável time da Premier League, mas os anos provaram que nem sempre o time mais técnico vence. O equilíbrio entre maturidade e juventude parece ter sido alcançado; mas a trupe do técnico francês continua se esquecendo de outros contrapesos fundamentais. Vejamos no que dá.

Prós:

1. É o time mais criativo e agressivo da Premier League. Situações de gol são inúmeras durante uma partida.

2. Possui sempre os jogadores mais técnicos, mesmo entre os reservas.

3. Pela primeira vez em anos começa uma temporada sem meio time no departamento médico.

Contras:

1. É incisivo até demais, deixando a defesa, ponto fraco do time, desguarnecida nos contra-ataques do adversário. A falta de objetividade também é um grande problema a ser superado.

2. Perdeu trocentos bons e experientes defensores. O que era frágil tende a se tornar mais frágil ainda.

3. O problema de um centroavante digno parece eterno… Bendtner era uma desgraça e Chamakh não inspira a menor confiança; van Persie é feito de vidro e joga mais de ponta.

Manchester City: apesar dos pesares, é um sério aspirante ao título. Investiu pesado e bem para a temporada, cobrindo áreas carentes no time e enchendo o banco de reservas de bons jogadores. Para um campeonato de longo fôlego, intermediado por outras competições influentes, poder alternar os onze iniciais perdendo pouca ou nenhuma qualidade é um privilégio para poucos, os ricos e poderosos. Como o City é apenas rico, eis um aspecto que pode ser tanto um problema quanto uma solução… Temporada-chave para o City, que anda na corda-bamba.

Prós:

1. O time como um todo é muito bom. Não existe uma única posição na qual Mancini tenha carência de qualidade.

2. As características dos jogadores são muito variadas. Há muitas possibilidades de variações no esquema tático.

3. A briga pelas posições pode manter os jogadores “acesos”.

Contras:

1. Time acanhado, inseguro, sem espírito de campeão. Os jogadores preferem não arriscar jogadas de maior efeito nem fazer “blitz” no adversário.

2. Sofre a maior pressão dos últimos tempos, sendo um time desacostumado com esse tipo de cobrança.

3. A briga pelas posições pode manter os jogadores desunidos, abalando psicologicamente o plantel.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s