Ateus vs. Razão (round 3 – K.O.)

Padrão

Universo "evolucionista"...

4. A existência do vírus, que evolui a olhos vistos, prova o Evolucionismo.

Claro, somente a existência de um parasita microscópico poderia provar a excelência do mecanismo evolutivo… Infelizmente, para vocês, a resposta é: não.

Quando discuti com um ateu sobre as variações fenotípicas, ele me respondeu que o fenótipo é estabelecido antes, pelo genótipo. Certo, mas e antes? Antes alguma pressão ambiental fez com que o fenótipo variasse e essa alteração fosse comunicada à geração seguinte por via genética. Eles então sorrirão triunfantes, atribuindo a essa “evolução” o nome de “Seleção Natural” ou qualquer coisa que o valha. Será isso mesmo?

Para início de conversa, as variações no fenótipo não representam evolução –logo, as genotípicas igualmente. Por exemplo, um ser humano que vivesse na Noruega durante gerações não teria necessidade de produzir melanina em grande quantidade, sendo essa característica comunicada geneticamente (e aprofundada) através das gerações seguintes. Mas isso não quer dizer que um norueguês é uma versão “digevoluída” de um etíope; ambos continuam sendo seres humanos, com graduações diversas de melanina de maneira apenas melhor adaptadas às suas respectivas circunstâncias. Claro, essa constatação é para quem não é evolucionista, pois, se você é evolucionista a sério, teria que ser também racista e eugenista, tal como Darwin, Alan Kardec, Hitler e outros tantos fanfarrões por aí.

Mesmo assim: quer dizer que há a “criação” de nova informação genética? Estudos do D.I. têm apontado que a informação responsável pela mutação já existe nos genes e em outros registros de informação. Portanto, quando essa informação preexistente é acionada, o organismo não melhora em relação a si mesmo, criando novas “estruturas biológicas aprimoradas”, como vimos a constatar no exemplo do parágrafo anterior. Se isso não basta, poderíamos aludir que as mutações, quando ocorrem, são raríssimas na natureza, tornando a causalidade evolutiva ainda mais improvável, do ponto de vista probabilístico, do que nos fazem deduzir por si mesmas as estruturas orgânicas mais complexas, que não poderiam ter “evoluído” do acaso. Quando não se trata disso, como no caso do vírus por exemplo, o organismo simplesmente desliga certas proteínas para escapar do ataque das drogas. Ou seja, ou a mutação redunda neutra da perspectiva valorativa, em certos casos, ou simplesmente como um “decréscimo”, em outros. A isso chamamos “sobrevivência”, não “evolução”. K.O.

Para completar, poderíamos aniquilar a hipótese evolutiva simplesmente… pensando. Se eu saísse do meu quarto bagunçado e, retornando, transcorrido algum tempo, encontrasse-o todo arrumado, o que eu deveria pensar a respeito? Eu deveria acreditar que as meias, os sapatos, as camisas, os cabides e outros elementos do quarto, saídos do caos, se auto-organizassem? Ou seria mais racional conjecturar que alguém inteligente, possivelmente minha empregada, entrou no quarto e organizou as coisas segundo lhe pareceu, muito provavelmente, mais limpo e prático? Pois os evolucionistas são como os criadores daquele desenho, o Toy Story, atribuindo inteligência e, mais do que isso, faculdades telepáticas às partículas, contrariando em última análise, aliás, não apenas todo bom senso, mas também o princípio de incerteza da mecânica quântica. Pois o que existe na verdade é uma inteligência percuciente, ou seja, uma visão em panorâmica que analisa, separa e integra os dados observáveis em partes eficientes, constituindo um verdadeiro mecanismo, no qual cada elemento, naturalmente, depende de outro(s) a ele associado para refletir, por fim, uma ideia de seu ordenador.

Nesse ponto, os evolucionistas poderiam protestar, alegando que minha alegoria seria inapropriada. Afinal, o mecanismo evolucionista diz respeito à vida. Mas definimos por “vivo”, em sentido absoluto, aquilo que existe, não apenas aquilo que possui consciência de seu estado. De modo que, ademais, se nos referíssemos somente a esse último grupo quando falássemos em “vida evolutiva”, teríamos que nos restringir aos animais (ainda que imperfeitamente) e aos seres humanos, o que descaracteriza os postulados evolutivos, uma vez que elimina de sua equação biológica, enquanto elemento fundamental do processo, todos os microorganismos. Assim, o que escapasse da semi-consciência animal ou da capacidade ordenativa humana, como, por exemplo, a estabilidade quântica, segundo a qual as coisas permanecem o que são, seria por responsabilidade de uma inteligência obviamente superior.

5. Mas e o bagre?

Let them know: se o bagre foi criado em condições perfeitas, porque ele teria necessidade de se mudar para as cavernas, desconfigurando sua “programação” original? Das duas uma: ou a cabeça de bagre é mais inteligente do que a divina ou o criacionismo só poderia admitir, forçosamente, um (ridículo) evolucionismo dirigido. De qualquer forma, enfim, Deus não poderia ser onisciente. Nem perfeito. Nem existente.

Universo criacionista (ou "inteligente").

Primeiramente é preciso esclarecer que o bagre não foge de sua essência enquanto bagre, apesar dos “softwares” (rs…). Quer esteja cego e numa caverna, quer não o esteja, um bagre vai continuar sendo um bagre, ou seja, um animal burro com instintos naturais de sobrevivência. O bagre não vai criar pernas e sair andando por aí, para fugir de um predador. Um bagre é perfeito por ser bagre, não por ser bípede, tampouco por ser Deus. Deus é Deus, homem é homem, macaco é macaco, embora isso não pareça muito claro para certas cabeças-de-bagre que não tenham sido versadas nos princípios cartesianos ou sequer escutado aquela música do Falcão (como a minha, que já foi adepta do evolucionismo antes de se converter à fé/razão).

Assim se dá com o universo porque os diferentes níveis de qualidade de perfeição das diferentes criaturas refletem a harmonia e ordenação universais –consequentemente a sabedoria divina. Assim, observar o bagre perdendo a visão por se refugiar na caverna talvez seja um índice simples sobre a existência de uma narrativa cósmica maior; talvez a história do “bagre cego” seja uma parábola sobre a necessidade de preservação da própria existência a custo do sacrifício de algo menor (como o da visão limitada). A perfeição de Deus não é evidente para nós, como numa representação figurativa, mas especulável a nível vertical, abstrato. De outro modo, Deus teria Se recriado, contrariando a narrativa bíblica, inclusive no diz respeito à possibilidade de ter havido pecado, e seria apreensível pela ciência.

Anúncios

14 comentários sobre “Ateus vs. Razão (round 3 – K.O.)

  1. 4)hahaha Hitler evolucionista ele era um bom cristão dedicado a acabar com os povos que não o aceitavam tsc tsc tsc http://ceticismo.net/2010/04/20/hitler-era-ateu/ e a sobrevivência é um dos mecanismos da seleção natural afinal de contas só o mais apto passa os genes adiante certo ? Até animais complexos http://noticias.bol.uol.com.br/ciencia/2010/03/05/saiba-como-lagartixa-hibrida-mantem-variedade-genetica.jhtm passam mudanças genéticas por partenogênese .
    5)Não só o bagre , dentes de leão se reproduzem sem fertilização mas mesmo assim produzem flores e pólen , molares em morcegos vampiros e etc.
    ————————-
    Ficou bem claro que você “modificou a sua crença em Deus” para que ela lhe parecesse lógica, afinal de contas com tantos absurdos você não teria a capacidade de ter fé por fé.
    Não aceita nem o Fundamentalismo nem o Criacionismo , criou deus aos seus olhos.Por isso suas respostas são confusas já reparou ?Puxa totalmente a “idéia de um criador” para um ramo de idéias que lhe agrada tsc tsc tsc.

  2. Hum curioso onde estarão as respostas que eu deixei aqui ?
    Bem temos algumas teorias:
    1) Falha no blog.
    2)Algum sistema anti-spam.
    3)Ou elas machucaram o ego de alguém que gosta de falar com as paredes e se achar dono da verdade , que nem tem uma base de fé bem definida.

  3. Doctor Butcher

    -Hitler era ateu e, como tal, supersticioso. A própria suástica, um símbolo das religiões orientais, foi cooptada pelos nazi, pois eles acreditavam ser descendentes “evoluídos” dos tibetanos. O próprio conceito de “raça superior”, além de encontrar paralelos com vasta literatura alemã pregressa (Hegel, Fichte, Nietzsche, Wagner), era escancaradamente evolucionista. Isso sem falar nas “sociedades secretas”, a la Aleister Crowley, que grassavam feito erva daninha na Alemanha nazista.

    -É verdade! Aqui, você parece estar certíssimo! Se por “Seleção Natural” Darwin queria se referir à “sobrevivência” no sentido de que podemos acionar mecanismos insipientes no organismo para nos protegermos (como suar muito quando faz calor), então eu acredito nele. Se quis dizer que nova informação é criada (lembrando que o rabo da lagartixa é informação genética preexistente), ou que certas espécies tenham sido extintas por causa de um defeito estrutural ou que, por fim, haja uma “luta de raças” (a exemplo da ridícula “luta de classes”), então eu discordo inteiramente. O problema é que Darwin não era muito claro. Por que será?

    -Não modifiquei crença alguma. “Minha” filosofia nem sequer é original, a não ser pelas metáforas. De tudo o que você lê aqui pode encontrar texto equivalente nos mestres da escolástica e da patrística. Exceto, é claro, pelas referências à ciência moderna. Mas essas últimas só servem para corroborar a filosofia oficial da Igreja -nem poderia deixar de ser diferente.

    -Humanos tiveram filhos com neandertais? Me desculpe, mas isso é de tal forma ridículo que nem me dei ao trabalho de ler… É como se você transasse com um chimpanzé e esperasse que o “resultado” da união (caso houvesse) fosse algo “mais apto” do que nós…

  4. Hahaha uma das motivações de Hitler era o Lutero que começou o movimento Protestante e culpava os judeus por não se associarem a ele , logo a ira do Hitler caiu sobre eles.Hahah raça superior em nacionalidade também.

    hehehe acordos do bom Cristão Hitler com a igreja .

  5. Hahaha eu acho graça chamar ateus de supersticiosos daqui a pouco vai querer saber se tenho signo hahaha, superstição é crêndice no máximo pseudociência e ambas não são prováveis com evidências.
    Hum então a fé pura continua não sendo o bastante para você ela teve que ser modernizada pela ciência a mesma que tem registros fósseis bem catalogados da evolução das baleias por exemplo.Aê você nega pois interfere com a sua fé certo ?
    Bem quando se decidir me avisa gente indecisa não pode argumentar plenamente, como você já se atropelou confirmando que o bagre teria alguma vantagem em ficar cego depois mudar para um metáfora.

  6. Várias motivações Neo-Nazistas vem da bíblia como a Marca em Caim ser a cor negra.Ou os descentes de Cam serem um povo maldito inferior. O que de um ponto evolucionista se torna ridículo pois todos temos o mesmo ancestral africano está nos genes não existe raça pura.
    Agora se você acredita que o mundo começou com duas pessoas brancas aê a história muda certo ?

  7. Doctor Butcher

    NAZISTAS: Caso você não saiba, os protestantes não se incluem no rol dos agraciados pela aprovação católica. Um protestante é tipicamente o que chamávamos “hereges”, tempos atrás, na época da Contra-Reforma. Então, se Hitler queria ser alguma espécie de “novo Lutero”, como você diz, isso apenas denuncia de sua ilegitimidade cristã.

    Ora, se os nazistas viam isso ou aquilo na bíblia, interpretando-a ao seu bel-prazer, isso apenas acentua sua presunção. Apenas a exegese papal, ou a aceita pelo sumo-pontífice, é considerada legítima para os católicos. Interpretação pessoal da bíblia era o que Lutero fazia e o que os “evangélicos” fazem; interpretação bíblica pessoal até o diabo faz.

    Se o evolucionismo não é racista/eugenista, então como explicar a Seleção Natural, um postulado básico de sua metodologia? Segundo a Seleção Natural, apenas os seres “superiores” de uma espécie seriam os mais aptos para perpetuá-la. Se isso não faz juízo de valor sobre seres humanos ou, no mínimo, não alimentou as crenças nazistas (neste ponto, há vasta documentação em contrário), então como explicá-la?

    A propósito da existência de um Jesus “ariano” nas artes figurativas, isso é de fácil explicação. Basta observar como são diferentes as figuras bíblicas de Rembrandt e Rafael, por exemplo. Por quê? Porque cada qual representava, como “realista”, com base na realidade onde vivia (Holanda e Itália, respectivamente).

  8. Doctor Butcher

    FÉ X CIÊNCIA: Minha fé não teve que ser “modernizada” pela ciência. Nenhum dado novo foi acrescentado ou modificou algo da doutrina católica. Como eu disse mais de uma vez, os elementos “modernos” servem apenas para confirmar, mediante novas incursões da ciência, o que já fora dito há milênios atrás, por meio da religião.

    A Igreja Católica não reconhece o Evolucionismo. Prova disso são inúmeros documentos oficiais do Papa contestando a Evolução. Agora, se há pessoas dentro do alto clero que creem em evolucionismo, marxismo, satanismo ou qualquer outra coisa que não o cristianismo, isso não é problema meu: é delas.

    Se o bagre não leva vantagem em ficar cego, então isso é um problema para o evolucionismo, não acha? Ademais, essa questão já foi explicada; se você não entendeu, não posso fazer nada senão lamentar.

  9. Hahaha não entende a seleção natural mesmo é questão de estar apto a onça no pantanal é maior por ter mais espaço livre , e em mata fechada é menor.Não são inferiores são adaptados a ambientes diferentes tal qual os negros são mais adaptados a lugares com mais sol assim deveríamos matar os brancos em lugares ensolarados ? É claro que não ! Aprenda que todos os animais ou pessoas vivos estão adaptados ao ambiente em que vivem.Há uma ilha onde existiam morcegos que não voavam e foram predados até a extinção por animais domésticos , foi uma mudanças brusca a qual não poderam se adaptar isso é um simples exemplo de extinção por seleção natural.
    E a bíblia é bem clara com com o povo gentio ou outras crenças proibindo contato social e cultural com outros povos um cristão seria xenófobo por natureza .

  10. Hahaha quando afirmaram que a Terra era redonda quem condenou tais pessoas por essa afirmação ? A igreja medieval .O problema do bagre ter uma mutação ao ponto de perder a visão contradiz a versão que Jeová fez os seres prontos e imutáveis não concorda ? Tal qual o exemplo dos morcegos que não voavam mais.Animais sem vergonha hein ? Jeová dá asas eles “evoluem” novamente a vida terrestre e de castigo Jeová os extinguiu hahaha,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s